Editorial de Abril 2019

Ciclone IDAI – 14 de Março

 

Uma tragédia que se abateu somente contra os pobres deste País

 

·         Quem sofreu?

·         Quem está a sofrer?

·         Quem se encontra totalmente desamparado?

·         Quem continua a chorar por ter perdido tudo da vida?

·         Quem não tem meio para reativar as suas atividades?

·         Quem se encontra nos Centros de acomodação?

·         Quem está na bicha para ter comida e vestuário?

·         Quem luta contra outro para um pedaço de pão?

·         Quem?

 

São somente os pobres!

·         Gente que vivia precariamente,

·         Gente que vivia o dia-a-dia,

·         Gente que vivia em casas precárias e sem segurança,

·         Gente que soube fazer somente filhos, enriquecendo assim o País com muitas crianças… o “futuro da Nação”…,

·         Gente analfabeta e colocada aos limites da Sociedade Civil,

·         Gente sem uma quinhenta no bolso e tanto menos no Bancos!

 

E depois de 20 dias do trágico acontecimento, continuam nos Centros de Acomodação, lutando para sobreviver!

É mesmo um mistério! A tragedia se encosta ao Rico, que tem casas boas, meios para ultrapassar os danos causados, mas ao Pobre cai na cabeça para mesmo matá-lo ou destrui-lo para longo tempo!

Porque é que somente agora o Mundo se comove perante a enormidade da TRAGÉDIA?

 

·         Onde estavam os socorros internacionais e nacionais antes do Ciclone para assegurar uma vida melhor para estes pobres? Smpre esperando pela Tragédia!!!

·         Há quantos anos foi pedido uma eficiente drenagem para a cidade da Beira. E somente agora uma enormidade de meios para socorrer!!!

·         Quantos pedidos foram rejeitados ou considerados de luxo para assegurar a construção de escolas e Postos de Saúde mais resilientes a qualquer ciclone?

·         Quantas propostas para acelerar o processo de empreendedorismo para aumentar a capacidade económica destes Pobres? Tudo colocado de lado! Amanhã, veremos!!!

 

A Tragédia foi e é grande e devemos encarar isso e lutar para ultrapassar esta situação! OK e concordo…. E estamos lutando para isso.

MAS, com ideias claras depois desta lição forte, sofrida na carne, para criar condições mais justas na habitação, no abastecimento e sobretudo no crescimento económico de todos, sem colocar de lado semrpe as exigências do Pobres! 

 

Um abraço forte, 

Domenico Liuzzi,

Director Nacional da KULIMA.

 

 

LegetøjBabytilbehørLegetøj og Børnetøj