Editorial de Agosto

 

Precisa mesmo identificar um comportamento, uma conduta especial perante o Covid 19 ou devemos associar esta conduta propalada em todos os cantos fortalecendo as outras condutas a ter perante todas as doenças endêmicas?

 

Até ao fim de Julho morreram em moçambique nem sequer 11 pessoas, dos quais não sabemos nada de nada… nem nomes, nem como as coisas aconteceram, nem sequer os lugares onde foram tentados curar. NADA! No entanto de HIV-SIDA, de TB, de Cólera, de Malária, de diabete, de hipertensão, etc. quantos, nem se cotam. Estes últimos estão fora da moda! Já não interessam à SAUDE, ao Governo, porque s estatísticas estão orientadas somente para o COVID19.

Sabemos tudo sobre o COVID, o número de casos em todo o Mundo, o número de mortos e o número de recuperados. Sabemos tido sobre o vírus e como se propaga. Temos fundos suficientes para baldes, sabão, máscaras… Brincamos sobre o distanciamento e não sabemos nada sobre as montanhas de dinheiro que o País recebeu para isso. Sabemos de todas as operações para descobrir a vacina e qual o País que vai ser vencedor. Sabemos quais os medicamentos mais valorizados por cada País. Sabemos tudo e vivemos disso. Os meios de comunicação bombardeiam as comunidades e ameaçam com punições, Há black out e Lockdown… há promulgações de orientações restritivas… Há tudo em relação ao COVID 19….

No entanto “os sobreviventes”, que são a super maioria, sofrem a fome, a guerra, a falta de instrução, de transporte e de mercado…. A pobreza se alastra em todo o lado e somente pouquíssimo se beneficiam desta calamidade.

Não estou contra todo este processo que se instaurou no mundo e em Moçambique. É necessário! E devemos ter uma postura adequada e séria!

Uso de Máscaras, o distanciamento e a lavagem das mãos! Devem continuar ainda por muito tempo!

MAS, um equilíbrio em tudo isso! Uma atenção aberta a todas as problemáticas que a gente sofre! Não devemos seguir somente o fluxo do que acontece hoje no mundo. Milhões e milhões de dólares para realizar em tempos curto da criação duma vacina… e que venha! Todos precisamos e iremos agradecer.

MAS, a vacina contra o HIV-SIDA, a Malaria, o Cólera, etc. Tudo ficou no esquecimento? Não há fundos para estas doenças? Doenças essas que matam uma enorme quantidade de gente de todas as idades? A bendita OMS, rica de grandes personalidades, renomados em todo o mundo, pelos quais todos se levam o chapéu ou reverência e espeito, onde colocou os problemas causado pelas doenças endêmicas?

MAS, como lutar contra a pobreza absoluta? Os Objetivos do Millennium foram adormecidos e colocados de lado … ao menos nesta fase! Quanto hipocrisia me todo isso!

A nossa Organização não se deve sujar perante estas atitudes, não deve ser leca-leca deste tipo de atitudes mundiais.

Devemos sim lutar contra o desleixo e respeitar as orientações preventivas contra o COVID 19, mas sempre com equilíbrio e nunca esquecendo os programas que lidam com os nossos pilares de Desenvolvimento rural integrado e de promoção Social.

Devemos sim aplicar as regras de prevenção, mas sempre com uma atenção na luta contra todas as doenças endémicas que por anos estamos lutando.

Devemos sim usar máscaras e obedecer ao distanciamento, mas nunca esquecer a luta que estamos travando contra a pobreza, sobretudo dos camponeses que necessitam de produzir, dos jovens que necessitam encontrar trabalho, das mulheres que necessitam serem respeitadas.

Temos lutas que nunca podemos esquecer, fazem parte do nosso DNA como Instituição ao serviços dos que mais necessitam!

Temos lutas contra a falta de educação, a falta de alimentos,

Temos lutas contra a malnutrição.

Temos lutas contra tudo o que impede o crescimento socioeconómico das comunidades e das camadas mais desfavorecidas!

E assim mantemos uma nossa postura abrangente! E adulta!

_________________________________

Um abraço forte, 

Domenico Liuzzi,

Director Nacional da KULIMA.

 

 

LegetøjBabytilbehørLegetøj og Børnetøj