Editorial de Junho

 

Devemos evidenciar muito mais a nossa característica de especialistas em desenvolvimento rural integrado!

 

A nossa história é rica na realização de programa que tinham e tem como foco principal o Desenvolvimento Rural Integrado, a começar do ano 1984, quando a primeira equipa da KULIMA realizou por cinco anos atividades de Emergência e Desenvolvimento em Vilanculos. Abrangemos 20.000 famílias, entre Agricultores e Pescadores, que, afetos pela Guerra Civil, viram-se obrigados a recomeçar de nada, todas as atividades produtivas, com financiamento da União Europeia, naquele tempo muito atenta às Problemáticas do Desenvolvimento Rural, vivendo de perto as fases de realização dos Programas e sem toda aquela capa de burocracia, que trava hoje o processo da Cooperação.

No 1990 de Vilanculos se passou a Inhambane e Maxixe, com a revitalização das Zonas Verdes, co financiamento da Embaixada da França e com a Promoção das Mulheres da cintura Verde da Cidade da Beira, com financiamento da UNICEF.

Assim a primeira década de vida da KULIMA foi mesmo caracterizada por ações concretas sobre a realização de atividades ligadas ao Desenvolvimento rural Integrado, transformando os técnicos emergentes em especialistas com um enriquecimento de ações viradas à Promoção Social: promoção da Mulher e da Criança, construção de escolas e postos de saúde, luta contra o HIV-SIDA e de outras doenças endêmicas, como a Malária, a TB, a Cólera e a Malnutrição.

No ano 2000, apoiados pela FAO e outras Instituições entramos no vivo da Emergência, com uma especialidade de orientar todos para ações de Desenvolvimento e nos tornamos especialistas na resposta às diferentes calamidades que afetavam as populações de Gaza, de Maputo e de Sofala. Distribuímos comidas e vestuário, Sementes e utensílios agrícolas, inventamos e realizamos Feiras Agrícolas itinerantes, construímos uma enormidade de casas, de escolas, de poços e Postos de Saúde, recuperando estradas de acesso.

Em suma, nos primeiros dez anos de vida, tocamos e com o reconhecimento da parte do Banco Central de Moçambique, que deu Licença Financeira, como Agente de Micro-finanças, definimos os 6 Pilares da nossa Instituição e nos espalhamos em quase todo o território nacional, com delegações sediadas em cada Capital de província.

Continuamos a crescer durante a segunda e terceira década, confirmando a nossa capacidade operativa, formando um grande número de técnicos do Desenvolvimento Rural Integrado, que paulatinamente, ingressaram em cargo de Governo ou se tornaram quadro de ONG’s internacionais, ou criaram outras ONG’s similares à KULIMA.

Hoje, depois de 33 anos de engajamento, podemos sintetizar que a nossa ação se encentra na EDUCAÇÂO COMUNITÁRIA INTEGRADA, dando ressalte às Capacidade de crescimento das Comunidade mais carentes e facilitando aos seus Membros a realizar quanto acreditam que possam fazer com as suas próprias forças.

Tivemos e temos uma atitude constante na nossa forma de vida: a aplicação constante do princípio da ACTUALIZAÇÂO, respondendo à pergunta: Qual deve ser hoje a nossa ação mais eficaz, mais inovativa, mais aceitável?

Por isso é que em cada época os princípios de Desenvolvimento Rural Integrado e de Promoção Social são atualizados e concretizados em ações específicas.

Hoje portanto, quais são as ações mais importantes que devemos focalizar nos Programas de Desenvolvimento rural Integrado?

Como ponto de referência, anexo à presente exposição um quadro resumo das 14 Ações mais significativas nas quais estamos metidos e devemos aumentar a nossa presença.

N.

AÇÕES

LOOKING FOR

1

Fomento do Associativismo e da luta contra o analfabetismo.

Em vista da sustentabilidade dos produtores rurais.

2

Prevenção à desertificação

Considerando que os períodos de seca estão a se tornar permanentes.

3

Bloqueio de toda a água das chuvas com a construção de represas

As reservas de água devem garantir as necessidades humanas, animais e de agricultura.

4

Criação de minissistemas hídricos multifuncionais

Em vista da preservação ambiental e da poupança de gastos a longo prazo.

5

Uso do Drone no relevamento dos terrenos

Para uma melhor analise e planificação

6

Uso permanente da informação satelitar - TIC – satelitar

Para aviso prévio às Associações, de modo a facilitar os programas produtivos e de comercialização.

7

Uso de pequenas estufas para produção de plântulas de hortícolas

Para antecipar e facilitar o transplante e redução de gastos de sementes.

8

Uso de grandes estufas para produção ao longo de todo o Ano.

Para Produção de produtos selecionados durante todo o ano, considerando a demanda de mercado.

9

Utilização de Sementes melhoradas

Quebrando os hábitos tradicionais na utilização de semente degenerada.

10

Estudo em permanente atualização dos mercados

De modo a prevenir produções excedentárias de baixa renda.

11

Realização de todos os passos da cadeia de valores de produção

Facilitando a atenção a todos os momentos de produção, de transformação, de conservação e de comercialização

12

Transformação e conservação de alimentos

Atividade essa que deverá ser feita por cada tipo aplicável de produto.

13

Fomento da Mecanização Agrária

 

Amentando a capacidade produtiva e facilitando a retenção dos jovens no campo.

14

Uso do Microcrédito agropecuário

 

Considerado o Motor do Desenvolvimento rural quando praticado duma forma racional e d grande respeito das regras.

 

 

Vamos valorizar as nossas experiências e reforçamos dia a dia a nossa vontade de engajamento na Promoção do Desenvolvimento Rural Integrado.

 

 

 

  

 


 

Um abraço forte 

Domenico Liuzzi

Director Nacional da KULIMA

 

 

LegetøjBabytilbehørLegetøj og Børnetøj